As Hemorróidas de Ouro (não há título melhor que esse)

18 11 2010

Não é novidade o número de absurdos e situações impagáveis presentes na bíblia. Sem a visão e a mente turvada pela ideologia religiosa, é fácil constatar as suas cômicas histórias mitológicas. Temos de tudo:

  • Pai amaldiçoando o filho por ele tê-lo visto nu (e chapado);
  • Filhas embebedando pai para cometer incesto;
  • Javé trocando porrada com humano;
  • Mula falante;
  • Engenharia genética com vara;
  • Coleção de prepúcios;
  • Golpe de lança que mata milhares;
  • Moisés vence guerra por colocar as mãos para cima;
  • Moisés sacaneado por dar porrada em uma pedra;
  • Egípcios com órgãos sexuais de equinos;
  • Cuspida mágica;
  • Respiração boca a boca mágica;
  • Eliseu apelando com a molecada;
  • Fezes como carvão;
  • Javé barbeiro;

Fica até difícil escolher qual dessas histórias é a melhor mas, uma se sobressai: “As hemorroidas de ouro”. A história está no primeiro livro de Samuel. Aproveita que você não foi amaldiçoado por deus, senta que lá vem história:

Eli, o sumo sacerdote da época, era uma espécie de Sarney da antiguidade. Através da posição privilegiada graças ao cargo do pai, os filhos praticavam a corrupção e a falcatrua, com um pouquinho assim de vadiagem. Deus resolveu acabar com a roubalheira, mas nessa época ele já tinha parado de aparecer em público e só falava por sonhos, então Samuel foi importunado enquanto dormia para revelar uma mensagem ao Eli: “Você e sua família estão ferrados! Não adianta choramingar e nem queimar carneiro”. Eli então resignou-se: “Ele é o SENHOR; faça o que bem parecer aos seus olhos.”

Pela milionésima vez, os hebreus entraram em guerra. Só que dessa vez os filisteus botaram o povo querido de deus para correr. Israel não entendeu o motivo de deus não aparecer para dar uma força na batalha. Resolveram usar a arca da aliança, sua arma secreta, para garantir a ajuda divina.

Trouxeram a arca tomando cuidado para não tocarem no lugar errado e acabarem como Uzá. O exército hebreu ficou alegre e deu um grito tão forte (A-HU!) que chegou a tremer o chão. Os Filisteus ficaram com o cu na mão (deveriam ter segurado mais inclusive) já que Deus não segue diretos e tratados internacionais, pois faz uso de armas biológicas e não poupa civis ou prisioneiros de guerra. Mas os Filisteus tomaram coragem e massacraram 30 mil hebreus, entre eles os dois filhos de Eli. E então tomaram a arca da aliança.

Um mensageiro que conseguiu escapar da batalha comunicou Eli sobre a derrota. Ao ouvir aquelas notícias, Eli teve uma morte dramática:

Quem mandou não usar encosto?

“E sucedeu que, fazendo ele menção da arca de Deus, Eli caiu da cadeira para trás, ao lado da porta, e quebrou-se-lhe o pescoço e morreu;”

Assim, Javé cumpriu sua promessa com sua habitual justiça e sua “precisão cirúrgica”, sacrificando 34 mil hebreus no processo.

As hemorroidas

Deus é muito ciumento com sua arca, inclusive matou 50.070 pessoas apenas por olharem o interior dela. Os filisteus logo sofreram as consequências:

E sucedeu que, assim que a levaram, a mão do SENHOR veio contra aquela cidade, com mui grande vexame; pois feriu aos homens daquela cidade, desde o pequeno até ao grande; e tinham hemorroidas nas partes íntimas. […]

E os homens que não morriam eram tão atacados com hemorroidas que o clamor da cidade subia até o céu.

Os filisteus estavam em pânico – nem sentar direito podiam, coitados – e então os “sábios” decidiram criar ratos e hemorroidas de ouro para oferecem para as cidades israelitas como “expiação de culpa:

"Espero que fique bem realista"

 

Fazei, pois, umas imagens das vossas hemorroidas e dos vossos ratos, que andam destruindo a terra, e dai glória ao Deus de Israel; porventura aliviará a sua mão de cima de vós, e de cima do vosso deus, e de cima da vossa terra.

O mais incrível de tudo não é a coleção de estultices presentes na bíblia, mas sim que pessoas ainda acreditem nesse tipo de coisa como verdade absoluta e fato histórico. Pessoas que praticam o “salto triplo carpado hermenêutico” com interpretações estapafúrdias e desonestas para explicar o inexplicável. Nas novas versões da bíblia “hemorroida” virou “tumor” e o trecho “nas partes íntimas” foi  suprimido, o eufemismo já passou para a alteração textual.

Anúncios